Imprimir
Categoría: Investigación y debates

Representantes das Marinha, do Exército, da Aeronáutica e da ABIMDE estiveram presentes no painel “As Forças Armadas e a Base Industrial de Defesa Brasileira”, realizado na manhã desta quinta-feira (28), no segundo dia Rio International Defense Exhibition (RIDEX) e 5ª Mostra BID Brasil. O evento contou com o apoio institucional do Ministério da Defesa.

[Vídeo]

O almirante Petrônio, diretor de gestão de programas da Marinha, falou sobre o portfólio de projetos da Força Naval e destacou o Projeto "Corveta Classe Tamandaré”, que em junho deste ano realizou o chamamento público para a construção de novas corvetas.

Ele explicou que o projeto está atualmente na fase de análise de nove propostas recebidas. A melhor oferta deverá ser anunciada até o fim do ano. "Eu poderia dizer que estamos nas quartas de final, daqui a dois meses a semifinal e mais dois meses a final”.

O Exército brasileiro foi representado pelo general Chalela Júnior, 4º sub-chefe do Estado-Maior do Exército, que destacou as primordialidades da Força. "Nós temos que ter o nosso pessoal habilitado e o nosso equipamento. Nós temos que ter capacidade dissuasória. E isso, só é possível se tivermos uma defesa e segurança integrada com sua base industrial em todos os níveis”.

Segundo o general, 226 empresas trabalham atualmente com os projetos da Força terrestre, gerando mais de 27,5 mil empregos. Ele explica ainda que o portfólio se divide em três sub-grupos: a defesa da sociedade, a geração de força e a dimensão humana. Sobre este último, ele afirma que a formação de seus profissionais é a base do Exército.

Falando em nome da Força Aérea Brasileira, o brigadeiro Almeida, chefe da 5a Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica, relembrou a importância histórica e inovadora da FAB e a hélice tripla (Governo, Indústria e Academia), como uma ideia que deu certo, desenvolvida nos anos 40, pelo brigadeiro Casimiro Montenegro, em São José dos Campos. "Tínhamos o Governo (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial/DCTA), a academia (ITA) e a indústria (Embraer), tudo dentro do Ministério da Aeronáutica. Hoje, São José dos Campos é considerada a cidade mais adequada para investimento aeroespacial do mundo”.

José Cláudio Manesco, vice-presidente executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança - ABIMDE, destacou que as empresas da BID precisam ter uma alta especialização já que os produtos são de alto valor agregado. Ele relembra que o setor representa 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) e 4,7 milhões em exportação, e está cada dia mais presente na vida da sociedade civil.

A Ridex continua até amanhã (29), nos armazéns 3 e 4 do Pier Mauá, no Rio de Janeiro. A feira fica aberta das 10h às 17h.

Fuente: defesa.gov.br