A palestra sobre o “Direito Internacional dos Conflitos Armados e as Operações de Manutenção da Paz”, uma das mais esperadas do Curso de Direito Internacional dos Conflitos Armados (CDICA) da Escola Superior de Guerra (ESG), foi apresentada pelo secretário nacional de Segurança Pública, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, na tarde desta terça-feira (14), no auditório do Ministério da Defesa, em Brasília.

O general esteve à frente das missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti (MINUSTAH) e na República Democrática do Congo (MONUSCO). O tempo em que comandou as duas missões somam quase seis anos representando o Brasil em conflitos armados no exterior.

Ao longo da apresentação, o general Santos Cruz destacou a relação do Direito Internacional dos Conflitos Armados (DICA) com as operações e deu exemplos de como agiu em situações de conflitos armados. Segundo o general, mais do que conhecimento é necessário ter inspiração e percepção nas situações de combate. “O DICA veio para disciplinar. A parte teórica é muito boa, mas na prática é complicado. Em combate não tem como ser proporcional, tem que ser arrasador e ter discernimento para fazer isso. Tem que ser forte para evitar o conflito. Você gera menos violência se for firme”, ressaltou.

O general também cobrou ações mais enérgicas e eficientes do DICA e listou algumas questões que devem ser resolvidas, tais como: a responsabilização política; mais transparência por parte de ONGs que atuam em países que recebem missões de paz; e o combate a corrupção.

Ao final da apresentação, Santos Cruz destacou que é gratificante para quem vai para uma missão de paz ver as pessoas podendo voltar para suas casas. “A motivação tem que ser pelas pessoas. Você vai para a missão pelo o próximo. Se fizer isso de coração e com independência, dá tudo certo”, concluiu o general Santos Cruz.

O coronel Renato Sabagui é um dos estagiários do CDICA e destacou a importância em ter alguém com experiência nas missões de paz falando à turma. “A palestra é excelente, o general é uma pessoa com experiência de combate, o que nos leva a sair um pouco da teoria para a situação real”, elogiou.

CDICA

Esta é a sétima edição do CDICA, que tem o objetivo de roporcionar, a militares e civis, conhecimento prático e atual sobre temas relativos às leis dos conflitos armados, com foco em questões nacionais e internacionais, e na interoperabilidade das Forças multinacionais em missões de Paz. O Curso conta com 42 estagiários, 23 militares, sete civis e 12 oficiais de Nações Amigas.

Fuente: defesa.gov.br