Em avião da Força Aérea Brasileira (FAB), 163 solicitantes de refúgio e migrantes venezuelanos de Boa Vista (RR) são transferidos, nesta terça-feira (3), para as cidades de Igarassu (PE), Conde (PB) e Rio de Janeiro (RJ). O Governo Federal com o apoio do Sistema ONU no Brasil realiza uma nova fase de interiorização. A ação faz parte da Operação Acolhida, coordenada pela Casa Civil da Presidência da República, que envolve os ministérios da Defesa, Saúde, Desenvolvimento Social, Trabalho e Emprego, Forças Armadas, Organização das Nações Unidas (ONU), além da Polícia Federal.

O voo de interiorização partiu de Boa Vista às 8h23 (hora local) com destino ao Recife. Da capital pernambucana, 44 seguirão para Conde e 69 para Igarassu. Outros 50 seguem em voo para o Rio de Janeiro. Os migrantes venezuelanos são voluntários para a transferência. Os abrigos de Igarassu e do Rio de Janeiro são administrados pela ONG Aldeias Infantis SOS. O de Conde, localizado no distrito de Jacumã, é de responsabilidade do Serviço Pastoral do Migrante.

A ONG Aldeias Infantis, com o apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), receberá famílias com crianças e adolescentes, além de mulheres sozinhas ou grávidas. O Serviço Pastoral do Migrante na Paraíba abrigará prioritariamente homens e mulheres entre 18 e 30 anos, além de famílias.

A Interiorização

A interiorização é uma iniciativa criada para ajudar venezuelanos em situação de extrema vulnerabilidade a encontrar melhores condições de vida em outros estados brasileiros. Todos os solicitantes de refúgio e migrantes que aceitam participar da transferência passam por uma sessão de orientação sobre o processo de interiorização e as cidades de destino, realizam exame de saúde, são imunizados, abrigados na cidade de destino e acompanhados nos abrigos.

Nas fases anteriores, 527 venezuelanos foram levados para as cidades de São Paulo, Cuiabá e Manaus, durante os meses de abril e maio.

De acordo com diretriz do Ministério da Defesa para a Força Tarefa Humanitária que atua em Boa Vista e Pacaraima, no estado de Roraima, a FAB realiza o transporte dos venezuelanos para outras cidades.

O processo de interiorização é organizado pelo Governo Federal com apoio da ACNUR, da Organização Internacional para as Migrações (OIM), do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Por meio do registro dos venezuelanos abrigados em Roraima, o ACNUR estabelece o perfil desta população e identifica os interessados em participar da estratégia. A OIM e o UNFPA atuam na informação prévia ao embarque, garantindo que as pessoas possam tomar uma decisão informada e consentida, sempre de forma voluntária. O UNFPA promove diálogos com as mulheres para que se sintam fortalecidas neste processo.

A OIM ajuda na organização dos voos junto à FAB e acompanha os venezuelanos participantes no processo, que assinam termo de voluntariedade. O PNUD tem promovido seminários com o setor privado para estimular a inserção de trabalhadoras e trabalhadores venezuelanos no mercado de trabalho brasileiro.

Fuente: defesa.gov.br