Brasília, 02/01/2019 – Na tarde desta quarta-feira (2), o novo ministro da Defesa, Fernando Azevedo, assumiu o comando da pasta, no lugar de Joaquim Silva e Luna. A cerimônia de transmissão de cargo ocorreu no Clube do Exército, na capital federal, e contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, entre outras autoridades civis e militares. Mais de 700 pessoas prestigiaram o evento.

Após as honras militares e o canto do Hino Nacional, o novo gestor declarou em seu discurso que as ações das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica) serão pautadas pela Constituição Federal de 1988 e as Leis infraconstitucionais. “Como organismos de Estado, as Forças devem atuar nas coisas de soldado e cooperar com o poder civil onde forem demandadas, respeitadas as suas capacidades e competências”, afirmou. O ministro também apontou duas prioridades iniciais para gestão. A primeira é a racionalização das estruturas com redução de custos operacionais periféricos e canalização dos recursos para as atividades do braço armado e projetos estratégicos já existentes. A segunda é a urgência na reestruturação “da carreira das Armas, adaptando-a às modernas condicionantes operacionais e criando novos atrativos para a profissão militar”, destacou.

 

Em tom de despedida, Joaquim Silva e Luna agradeceu a toda a equipe que trabalhou com ele, disse que no tempo em que esteve à frente da pasta pôde servir às Forças Armadas. “Nunca considerei esse período como uma carreira militar, mas como uma vida de soldado. Superamos muitos desafios e é exatamente por isso que se torna complicado, agora, dizer até breve”, alegou. Na ocasião, Silva e Luna condecorou o ministro Fernando Azevedo com a Ordem ao Mérito Grã-Cruz. Em sua fala, o presidente da República, Jair Bolsonaro parabenizou os serviços prestados, tanto por Silva e Luna quanto por Fernando Azevedo às Forças Armadas e ao Brasil. “Mais do que defender a pátria, nós queremos fazer essa Pátria grande. E só faremos se tivermos do nosso lado uma boa equipe onde todos conversam entre si”, argumentou. Ao fim da cerimônia, o ministro Fernando Azevedo recebeu os cumprimentos dos presentes.

Entre as autoridades que prestigiaram o evento, estavam o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro José Otávio de Noronha, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, os ex-ministros da Segurança Pública, Raul Jungmann, e do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sergio Etchegoyen, o senador Fernando Collor de Mello e os novos ministros do Meio Ambiente, Ricardo Sales, e do GSI, general Augusto Heleno. Novo ministro Fernando Azevedo é o 12º ministro a assumir a Defesa. Natural do Rio de Janeiro, é general de Exército desde 2014. Ele chefiou as operações do 2º Contingente do Brasil na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti. Entre as últimas funções que ocupou, destacam-se a presidência da Comissão de Desportos do Exército durante a preparação e execução dos 5º Jogos Mundiais Militares, a direção do Departamento de Desporto Militar do Ministério da Defesa, além da presidência da Autoridade Pública Olímpica. Fernando Azevedo esteve à frente do Comando Militar do Leste e desempenhou, cumulativamente, a função de coordenador geral de Defesa de área por ocasião da preparação e execução dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Em 31 de julho de 2016, foi nomeado para exercer a chefia do Estado-Maior do Exército. Antes de assumir o Ministério da Defesa, foi assessor especial do presidente do Supremo Tribunal Federal.

Fuente: https://www.defesa.gov.br/noticias/51188-racionalizacao-dos-recursos-e-reestruturacao-da-carreira-das-armas-serao-prioridades-da-gestao-do-ministro-fernando-azevedo