O general de Exército, Elias Rodrigues Martins Filho, é o novo force commander da Missão de Estabilização da Organização das Nações Unidas na República Democrática do Congo (MONUSCO). A nomeação foi oficializada na manhã de hoje (13), pelo secretário-geral das Nações Unidas (ONU), António Guterres.

O general Elias será responsável por comandar cerca de 17 mil militares oriundos de diversos continentes, além de policiais, civis e agentes humanitários. Ele sucede o general Derrick Mbuyiselo Mgwebi, da África do Sul, que completou sua missão em 31 de janeiro deste ano.

Para o general, a MONUSCO talvez seja uma das mais complexas missões de paz lideradas pela ONU no momento. “A situação do Congo se torna mais complexa pela enormidade de facções e grupos armados ilegais que atuam no país. Há estudos que apontam a existência de mais de 200 grupos armados no País”, explica.

O militar deixa a função de subchefe de Organismos Internacionais da Chefia de Assuntos Estratégicos do Ministério da Defesa. Em 1985, Elias iniciava sua história com a ONU, ao participar da Terceira Missão de Verificação das Nações Unidas, em Angola. Posteriormente, atuou como conselheiro militar na Missão Permanente do Brasil, em Nova Iorque; negociador para a Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti e no Departamento de Operações de Manutenção da Paz.

No próximo dia 30, o militar irá se apresentar à ONU para o cumprimento de medidas burocráticas. O início do comando na missão está previsto para o dia 12 de maio. O general ressalta que sua ida à MONUSCO legitima a atuação exemplar do Brasil: “Eu entendo que isso significa prestígio para o Brasil, reconhecimento da qualidade do militar brasileiro. Qualidade de entender como nós estamos inseridos no ambiente político que nos envolve”, destaca.

Em novembro passado, o chefe do Departamento de Operações de Paz da Organização das Nações Unidas, Jean-Pierre Lacroix, destacou a relevância das tropas brasileiras no novo cenário repleto de desafios que ONU enfrenta.

O general Elias é pós-graduado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília e graduado pela Escola de Guerra de Defesa da Escola Superior de Guerra.

Fuente: defesa.gov.br